GRC é a sigla utilizada para o conceito integrado de Governança, Gestão de Riscos e Compliance, três práticas distintas que, na maioria das vezes, são adotadas em silos separados pelas empresas. Para Vladimir Barcellos Bidniuk, diretor da Moore Stephens especialista no assunto, essa separação dificulta a velocidade de tomadas de decisão e de reações em cenários competitivos, por gerar processos redundantes e conflituosos. Para ele, a integração dessas práticas é primordial. Leia sobre essas tendências no artigo “Governança, Gestão de Riscos e Compliance (GRC) são fatores primordiais para o sucesso das empresas”.

Auditoria cooperativa é uma nova modalidade de auditoria criada pelo Banco Central do Brasil para melhor monitoramento das práticas de governança por parte das cooperativas de crédito. É uma atividade que se difere da auditoria independente das demonstrações financeiras e exige credenciamento da empresa que irá exercê-la junto ao órgão regulador. O artigo “Auditoria cooperativa: nova modalidade de auditoria dirigida às cooperativas de crédito” esclarece o assunto.

No âmbito tributário, estamos vivenciando os reflexos da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de excluir definitivamente o ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS. Lygia C. S. Carvalho, diretora de consultoria tributária da Moore Stephens, esclarece a situação através do artigo “Empresas devem se resguardar de ação judicial para retirar o ICMS da base de cálculo de PIS e COFINS”.

Boa leitura.

Suporte de comunicação da Moore Stephens
comunicarede@msbrasil.com.br