Depois de alguns anos em que a inflação superou a meta central fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), em 2017, os analistas já reajustaram a previsão e calcularam um corte maior da taxa básica de juros da economia.

As expectativas do mercador são coletadas pelo Banco Central e medidas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O relatório financeiro que mostra os dados, chamado Focus, mostrou que a inflação oficial do país deverá ser de 4,19% e não 4,36% como foi previsto anteriormente.

Com a inflação indo bem, a taxa de juros (Selic) tende a sofrer queda no decorrer de 2017 e, com mais força, durante o ano de 2018. Com isso, o consumo deve aumentar, a economia melhorar e a taxa de desemprego, aos poucos, diminuir.

Após um longo período de instabilidade e incertezas, enfim, uma boa notícia para a economia brasileira.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/

Moore Stephens

Moore Stephens