A auditoria independente é uma área muito promissora no rol de profissões do universo business. Seu principal objetivo é analisar a adequação das demonstrações financeiras das empresas, e consequentemente, dos controles internos e práticas contábeis adjacentes. Portanto, uma profissão cada vez mais necessária à integridade e confiabilidade dos negócios, cuja moeda mais cara é a reputação.

Para ser um auditor(ou auditora), é necessário ter formação em ciências contábeis, atividade que rege a técnica da auditoria e também as normas da profissão, através do Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Porém, formados em administração de empresas e áreas correlatas podem iniciar a carreira, desde que busquem a formação em ciências contábeis como segunda graduação.

Optar por uma carreira na área de auditoria significa cercar-se de grande responsabilidade, normas profissionais e metodologia de trabalho patenteada por uma marca de auditoria experiente no mercado,além, é claro, de um bom e estruturado plano de carreiras.

Para entender, na prática, como funciona a carreira, nada melhor do que ouvir quem está em pleno exercício da profissão. Selecionamos 5 auditores de diferentes cargos e escritórios da Moore Stephens no Brasil e montamos um guia completo para você.

Guia da profissão de auditoria contada por auditores da Moore Stephens

  • Habilidade de desenvolver multitarefas e conhecer diversos setores da economia
  • Profissão cuja rotina é não ter rotina – um desafio novo a cada semana
  • Necessidade de compartilhar com os mais novos e de aprender com os mais velhos
  • Profissão de grande projeção e credibilidade no mercado
  • Rico amadurecimento pessoal e de senso crítico
Habilidade de desenvolver multitarefas e conhecer diversos setores da economia
Por Moacir Lucindo

Por Moacir Lucindo

“Conhecer diferentes processos, pessoas e culturas empresariais, foi com certeza o que mais me motivou a iniciar minha carreira profissional em auditoria e me manter até hoje nela. A auditoria proporciona ao profissional a habilidade de desenvolver multitarefas e conhecer diversos setores da economia, criando assim uma gama de conhecimentos muito rica sobre processos contábeis e controles internos – uma experiência que torna o auditor um profissional diferenciado no mercado.

A profissão por si só é motivadora, mas trabalhar em uma empresa como a Moore Stephens pode trazer vários desafios e oportunidades. Tive a oportunidade de fazer um intercâmbio profissional na Moore Stephens Sydney – Austrália. Essa chance de conhecer uma cultura diferente de trabalho agregou muito à minha experiência profissional. Pessoalmente, também foi muito gratificante viver por um tempo em outro país, aprender sobre seus costumes e desenvolver o idioma.

É muito satisfatório fazer parte de uma profissão que pode servir de ferramenta social, pois empresas auditadas transmitem confiança; confiança atrai investimentos; investimentos geram empregos; e a geração de empregos diminui a desigualdade social”.

Moacir Lucindo é sócio-gerente de auditoria no escritório de Joinville. Tem 33 anos e começou a carreira em 2003.
Profissão cuja rotina é não ter rotina – um desafio novo a cada semana
Por Vanessa Matsuhashi

Por Vanessa Matsuhashi

“O curso de ciências contábeis abre várias possibilidades para o estudante decidir qual caminho irá trilhar em sua vida profissional. Eu escolhi a auditoria, uma área com a qual, de início, havia me identificado apenas com a “teoria” que foi passada na faculdade.

A rotina é não ter rotina! Nós temos metas a serem seguidas dentro de cada cargo, contudo, os mesmos exames e testes que o auditor deve realizar para cumprir as normas estabelecidas são aplicados de maneira diferente para cada cliente e cada ambiente de trabalho. Você acaba aprendendo as atividades de cada um, seja indústria, cooperativas agrícolas, de crédito, de trabalho médico, e muitas outras.

A cada semana há um novo desafio a ser cumprido. Esses desafios são o que me motivam a cada vez investir mais nesta carreira.Também há outra questão que é fundamental para mim: a equipe da Moore Stephens é como uma segunda família, pois passamos muito tempo juntos. Sempre houve respeito e companheirismo. Por esse motivo, acabamos nos apegando e crescendo profissional e pessoalmente, valorizando as qualidades de cada um”.

Vanessa Matsuhashi é assistente sênior de auditoria no escritório de Ribeirão Preto. Tem 24 anos e começou a carreira em 2014.
Necessidade de compartilhar com os mais novos e de aprender com os mais velhos
Por Valéria Gomes Medina

Por Valéria Gomes Medina

“A opção pela auditoria me fez descobrir oportunidades únicas de crescimento profissional e pessoal. Minha carreira acumula uma série de transformações e caminhos percorridos. Formou meu caráter profissional e consolidou uma série de aspectos importantes, como a necessidade de estudar e aprender sempre, de compartilhar o conhecimento com os mais novos e de aprender com os mais velhos, de saber lidar com pessoas e de trabalhar em equipe.

A auditoria me permitiu um amadurecimento profissional, pois atuamos em várias áreas e realizamos diversos trabalhos voltados para o funcionamento dos negócios das empresas, as leis e os padrões nacionais e internacionais a que estão inseridas.

Proporcionou-me um crescimento pessoal ao possibilitar viagens para diversos lugares dentro e fora do Brasil, uma busca constante pelo aprendizado e o conhecimento.

A paixão pela auditoria vem principalmente da oportunidade de conhecer e vivenciar situações novas. Possibilita um grande desenvolvimento intelectual, maior comprometimento e superação de desafios”.

Valéria Gomes Medina é supervisora de auditoria no escritório de Belo Horizonte. Tem 39 anos e começou a carreira em 2005.
Profissão de grande projeção e credibilidade no mercado
Por Moisés Gomes

Por Moisés Gomes

“O zelo pela qualidade dos serviços prestados, a concorrência no mercado e a necessidade de atender as normas vigentes fazem com que o auditor esteja sempre em alerta e tenha uma rotina de trabalho bem intensa. Isso ocorre principalmente no período do ano em que as empresas estão finalizando as suas demonstrações financeiras e solicitam o relatório de opinião dos auditores independentes.

Quando eu estava concluindo a faculdade, consegui um estágio em um grande escritório de serviços contábeis, onde mais tarde fui indicado para uma vaga na auditoria e aceitei. Quando entendi melhor a importância e os desafios da auditoria, me identifiquei muito e estabeleci a carreira como meta profissional. Um grande desafio é equilibrar a vida pessoal com o nível de pressão por bons resultados, mas a determinação nos ensina a lidar bem com isso, e a experiência também.

Hoje, como sócio, tenho muita motivação para seguir adiante e continuar trabalhando, não só pelo meu crescimento profissional, mas especialmente, da rede Moore Stephens.

A trajetória na área de auditoria me proporcionou uma grande projeção e credibilidade no mercado, que ajuda tanto na captação e manutenção de clientes, como no exercício de atividades importantes para a difusão da profissão, como ministrar aulas em cursos de graduação e pós-graduação, participar da diretoria regional do IBRACON e atuar no comitê de auditoria do CRC-CE”.

Moisés Gomes é sócio de auditoria no escritório de Fortaleza. Tem 40 anos e começou a carreira em 1997
Rico amadurecimento pessoal e de senso crítico
Por André Pessi Aderaldo

Por André Pessi Aderaldo

“O mundo da auditoria é empolgante, pois traz oportunidades que nos fazem crescer, tanto profissionalmente, com os conhecimentos adquiridos no decorrer da carreira, como pessoalmente, devido ao grande nível de responsabilidade, ética e comprometimento envolvido.

Manter-se atualizado é um grande desafio. Mas o trabalho em equipe com profissionais que já vivenciaram inúmeras situações no decorrer de suas extensas carreiras ajuda bastante. Cursos promovidos, internamente, pela Moore Stephens, e externamente, pelos CRCs, são fundamentais.

Eu posso definir que a minha vida pessoal e profissional tem duas fazes: antes e depois de iniciar minha carreira na auditoria.

Em minha vida pessoal, destaco o amadurecimento como pessoa, o crescimento intelectual sobre diversos assuntos do cotidiano, o senso crítico e a visão sobre a sociedade como um todo. Adquirindo novas responsabilidades, o reflexo na vida pessoal é imediato. Profissionalmente, me sinto muito mais preparado e com expertise suficiente para auxiliar nas tomadas de decisão. Meus conhecimentos contábeis, fiscais, jurídicos, empresariais e de negócio evoluíram, consideravelmente, nestes últimos anos.

Hoje tenho a felicidade de dizer que, quando tomei a decisão de abraçar esta oportunidade tomei a decisão correta, devido a notória evolução pessoal e profissional”.

André Pessi Aderaldo é assistente sênior de auditoria no escritório de Curitiba. Iniciou a carreira em 2014.